Com 100% de aproveitamento em casa, Bahia vai em busca do tri do Nordeste

(Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia)
Redação: Bruno Queiroz

Olhar para trás, lembrar de tudo que já foi feito e repetir. Para buscar a terceira taça da Copa do Nordeste nesta quarta-feira (24), às 21h45, na Fonte Nova, contra o Sport, são diversos exemplos e espelhos a serem seguidos pelo Bahia. Seja a lembrança da conquista de 2001, sobre o mesmo adversário, seja confiando na campanha dentro de casa, onde venceu todos os jogos na competição ou até mesmo buscando inspiração nos personagens de um dos maiores títulos da história do clube. Tudo é válido nessa hora.
“Ronaldo Passos ou Sidmar, Tarantini ou Zanata... Claudir ou Pereira são minhas dúvidas, tá? João Marcelo e Paulo Robson; Paulo Rodrigues, Gil Sergipano e Bobô; Zé Carlos, Charles e Marquinhos. É o que posso fazer para o momento. Inclusive a energia desses caras presentes em cada um dos que vão entrar. Muito bom fazer uma brincadeira, que é de respeito a esse grupo fantástico. Que eles nos iluminem amanhã”, brincou o treinador Guto Ferreira, ao lembrar dos jogadores do título brasileiro de 1988, quando perguntado sobre a equipe do Bahia que entrará em campo. 
O empate sem gols é suficiente para que o tricolor conquiste o tricampeonato, mas Guto acredita que a equipe não pode deixar de atacar o Sport, ainda mais jogando em casa, onde venceu todos os cinco jogos que fez na Copa do Nordeste. 
“O jogo não será fácil, mas temos certeza que, se repetirmos os jogos que fizemos e com o apoio do torcedor, temos muitas chances. Com respeito, entrega grande e qualidade. Vamos ter que ter uma defesa perfeita. O que é uma defesa perfeita? Uma defesa que não toma gols. Não tomando, somos campeões. Temos que ter um bom trabalho defensivo, mas não podemos deixar de buscar os gols”, ressaltou o comandante do Esquadrão, confiante.
A atuação no segundo jogo da semifinal contra o Vitória e toda a sinergia entre o time e a torcida são situações que, para o técnico tricolor, precisam ser repetidas ou até mesmo melhoradas na partida diante do Leão da Ilha. “Total. Aquele jogo foi emblemático e, queira ou não queira, é uma receita. Mas cada jogo é um jogo. Cabe a nós repetir e melhorar”. E se aquele jogo está sendo usado como referência, Guto Ferreira terá a possibilidade de repetir a escalação dos 2x0 sobre o rival. 
Na ocasião, o Bahia atuou com Jean, Eduardo, Tiago, Lucas Fonseca e Armero; Edson, Renê Júnior e Régis; Allione, Zé Rafael e Edigar Junio. Essa, inclusive, é de fato a equipe que deve enfrentar o Sport. Suspensos no jogo de ida, Armero, Edson e Régis retornam. Lucas Fonseca, que ficou fora do confronto contra o Vasco, pela Série A, também volta ao time titular. 
Ao todo, 24 jogadores foram relacionados, o que significa que 13 estarão no banco de reservas. Até o atacante João Paulo, que estava afastado por causa de uma lesão no pé, está concentrado com o restante do grupo. “Você faz todos se sentirem importantes. À medida que você faz todos se sentirem importantes, os destaques acabam prevalecendo, o grupo se apoia e a tendência é de conseguir resultados importantes”, finalizou Guto. 
A cereja do bolo 

Caso confirme o título da Copa do Nordeste, vale lembrar que o Bahia garante classificação direta nas oitavas de final da Copa do Brasil do ano que vem, o que beneficia o clube também na diminuição do calendário de partidas. O tricolor entraria no torneio nacional junto com os representantes do país na Libertadores da América.
Compartilhar no Google Plus

Sobre WEB INTERATIVA

DEIXE SEU RECADO