Ponto Novo, a seca que virou uma calamidade

Arquivo: Web Interativa (13/06/2017)

Fonte: A Tarde
Coluna Tempo Presente
Se no litoral as chuvas não dão trégua, no sertão baiano elas sumiram tanto que começaram a instalar calamidades.
Ponto Novo, pequeno município da região de Senhor do Bonfim, é um retrato do flagelo. Com uma barragem construída em 1998 por Paulo Souto para atender ao consumo humano de lá, Filadélfia e Caldeirão Grande, além do uso para animais e alguns projetos de irrigação, levou água também a Itiúba, Bonfim, Jaguarari e Andorinhas. Não aguentou.
Orlando Gama, chefe de gabinete da prefeitura de Ponto Novo, diz que 282 famílias reassentadas que plantavam coco, manga e mamão vivem em grande dificuldade. E o Sítio Barreiras, um grande empreendimento de cultivo de bananas, que empregava 700 pessoas diretamente e outras 1.500 indiretamente, demitiu todo mundo e tirou o time:

– As pessoas estão indo embora, a população está visivelmente diminuindo.
Compartilhar no Google Plus

Sobre WEB INTERATIVA

DEIXE SEU RECADO