Astro do K-pop, Kim Jong-hyun morre e deixa carta de despedida

(AFP)
Fonte: Correio 24h
O cantor sul-coreano Kim Jong-hyun morreu na segunda-feira (18), em Seul, aos 27 anos. Ele deixou uma carta de despedida em que afirma que lutava contra uma depressão. Amiga dele, a cantora Jang Hee-yong, do grupo Dear Cloud, divulgou a mensagem pelo Instagram.
"Estou quebrado por dentro. A depressão que lentamente foi me destruindo, já me devorou, e não consegui superá-la. É incrível o quanto dói. Ninguém está mais atormentado, nem debilitado do que eu", diz a carta escrita pelo vocalista. "Ser famoso provavelmente não era meu destino. Eles me dizem que por isso estou tendo dificuldades... Por que eu escolhi?". Não se sabe quando o texto foi escrito.
A cantora diz que consultou familiares de Kim antes de divulgar a carta. No dia da morte do cantor, ele ligou para a irmã e conversou sobre assuntos similares. Preocupada, a irmã chamou a polícia. Os agentes foram até o apartamento de Kim em Seul e já o encontraram desacordado. Ele possivelmente morreu inalando monóxido de carbono. A família pediu e a polícia não fará uma autópsia, por conta dos sinais claros de que Kim tirou a própria vida.
"No dia 18 de dezembro, às 16h42, a irmã mais velha de Jong-hyun afirmou à polícia que seu irmão estava prestes a cometer suicídio. Fomos à residência em Chungdam e descobrimos que ele realizou uma tentativa de tirar a própria vida. Levamo-nos às pressas para o Hospital Universitário de Konkuk com parada cardíaca", diz um comunicado emitido pela polícia do distrito Gangnam e reproduzido pelo jornal britânico Mirror. 
Kim foi o principal cantor da boy band Shinee, lançada em 2008. O grupo foi um dos maiores do K-pop. Depois, Kim seguiu em carreira solo. Ele também teve trabalhos no cinema e na TV.
Os últimos shows do cantor foram nos dias 9 e 10, em Seul, e uma atuação em um programa da TV sul-coreano estava programada para a véspera de Natal. Nas últimas semanas, ele chegou a sofrer ataques nas redes sociais por parte de grupos conservadores por ter dado apoio à causa LGBT. 

O grupo SHINee  com o álbum The SHINee world, e teve o sucesso alavancado em 2011, quando estourou no mercado japonês. Veja o clipe de Tell Me What To Do:

O sucesso da banda pode ser mensurado em plataformas de música como o Spotify, onde o grupo tem mais de 500 mil usuários mensais ouvindo alguma de suas canções. "View", maior hit do grupo, tem 13 milhões de audições.
Carreira e vida familiar
Nascido em 8 de abril de 1990 em Seul, o cantor trabalhou desde 2005 como trainee de uma empresa de entretenimento sul-coreana. No ensino médio, chegou a participar de um grupo de punk e acabou abandonando a escola regular para participar do Seoul Music Institute, onde se graduou em 2009.
Foto: Divulgação

Ele se formou pela Universidade de Chungwoon e fez mestrado na Universidade de Myongji. Seu objetivo era se tornar compositor, mas ele também atuava como dançarino, cantor e DJ. Seu primeiro mini álbum solo foi batizado de "BASE" e chegou ao 1º lugar no ranking de músicas sul-coreanas. 
Filho de uma diretora de escola infantil, o cantor era o caçula da família. O pai era pouco mencionado - em entrevistas, ele revelou que viveu com a mãe os avós a maior parte da sua vida.
Compartilhar no Google Plus

Sobre WEB INTERATIVA

DEIXE SEU RECADO