Estudos apontam que se alimentar mais tarde dificulta o emagrecimento


Agência O Globo
O horário das suas refeições pode influenciar no sucesso do tratamento de perda de peso. É o que tentam comprovar pesquisadores da Universidade de Múrcia (Espanha) e da Universidade Tufts (Estados Unidos) em um estudo publicado na Revista Internacional de Obesidade. De acordo com a pesquisa — que reuniu 420 pessoas para seguir um tratamento de perda de peso de 20 semanas —, quem se alimentava mais tarde eliminou menos peso e do que quem comeu mais cedo.
— Quando nos alimentamos mais tarde a tendência é a de comer mais. Além disto, quando se faz a última refeição mais cedo, há mais tempo de digestão e o estômago trabalha em um ritmo normal — afirma a naturopata Luciana Telles.
Os pesquisadores, então, sugerem que as “novas estratégias terapêuticas devem incorporar não apenas a ingestão calórica e a distribuição de macronutrientes, mas também o tempo de alimentação”.
Outro estudo, feito por pesquisadores da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, aponta que pessoas com diabetes tipo 2 que tomam café da manhã mais tarde têm o índice de massa corporal maior. Mas, especialistas brasileiros reforçam que o tipo de alimento ingerido durante as refeições é determinante para a perda de peso e a manutenção da saúde.
— Não só o café da manhã, mas todas as suas refeições diárias devem conter comida de verdade. Nada de alimentos industrializados ou processados, incluindo todo tipo de açúcar e carboidratos refinados — diz Thiago Sicsu, médico especialista em ortomolecular.


Busca por relação com ‘relógio biológico’
Os pesquisadores querem relacionar os resultados obtidos nos estudos com o funcionamento do “relógio biológico” humano. Este mecanismo ajuda a regular a pressão sanguínea, temperatura corporal e níveis de hormônios.
— Realizar as refeições em horários regulares é essencial para evitar o desenvolvimento de doenças crônicas, como diabetes e obesidade. É necessário manter uma alimentação diária dentro das recomendações nutricionais específicas para cada indivíduo — sugere Raquel Espirito Santo, professora do curso de nutrição da Unisuam.
Assim como tomar café da manhã mais cedo, é importante comer pelo não deixar para fazer a última refeição próxima à hora de dormir: alimente-se pelo menos três horas antes de ir deitar.
Comece o dia bem alimentado
Cereais integrais
São ricos em fibras e ajudam a diminuir o colesterol ruim e aumentar o bom. Os cereais podem ser misturados ao leito ou iogurte. Chia, aveia e linhaça são boas opções
Frutas
São ótimas fontes de vitaminas e fibras. Dê preferência a banana (contêm triptofano, que ativa hormônios do bem-estar) e frutas da época


Derivados do leite
São fontes de cálcio e outros nutrientes que ajudam na manutenção da saúde. Queijos brancos, leite e iogurte são ótimas opções
Ovo
O alimento é fonte de vitaminas do complexo B, além de conter selênio, potássio, zinco, manganês, entre outros. Caso consuma ovo mexido, evite usar óleo ou margarina no preparo, dê preferência a uma panela antiaderente.
Compartilhar no Google Plus

Sobre WEB INTERATIVA

DEIXE SEU RECADO