Em um pacote de salgadinho, mais da metade do conteúdo pode ser ar



Agência O Globo

Ao abrir um pacote de salgadinhos, a quantidade de ar dentro dele pode causar frustração se comparado com a quantidade de “snacks”. Uma dúvida que pode ficar na cabeça do consumidor é “quanto de produto compramos e por que tanto espaço vazio que poderia estar sendo ocupado com mais produto?”. O site Kitchen Cabinet Kings decidiu tirar a prova e resolver o mistério.
Utilizando um método de deslocamento de água, eles foram capazes de medir, com precisão, a quantidade de salgadinhos em cada pacote. Os resultados da pesquisa logo viralizaram na internet. Eles mostram que, em alguns casos, metade dos pacotes é espaço vazio.

É o caso da versão americana de produtos bastante conhecidos do público como “Ruffles” e “Doritos”. No “Cheetos”, foi encontrado a maior quantidade de ar por embalagem: 59%, diz a pesquisa. Daqueles que possuem versões comercializadas no Brasil, o menor índíce é da batata “Pringles”, com apenas 28%.

A justificativa para tanto ar dentro da embalagem, segundo o site, é o nitrogênio injetado para proteger a integridade das batatas, evitando que elas quebrem durante o caminho entre a produção até chegar ao consumidor. O gás também seria responsável por evitar que as batatas fiquem murchas, uma vez que o ar atmosférico aceleraria o envelhecimento do produto.

Compartilhar no Google Plus

Sobre WEB INTERATIVA

DEIXE SEU RECADO