Sete anos sem Amy Winehouse

Foto: Rama / Wikimedia Commons

Por: Portal FolhaPE

Nesta segunda-feira (23) faz sete anos sem a cantora britânica Amy Winehose, que faleceu após overdose aos 27 anos de idade em sua residência, em Londres. Amy era conhecida por sua potência vocal e por caminhar entre diversos gêneros musicais, passando pelo jazz, soul, R&B e ritmos caribenhos como o ska.

Sua carreira iniciou cedo, desde a adolescência, mas Winehouse só ganhou visibilidade e aclamação dos críticos com seu segundo álbum de estúdio, Back to Black (2006) que teve mais de cinco milhões de cópias vendidas e venceu cinco troféus na 50.ª edição dos Grammy Awards.

Um dos seus maiores sucessos, Rehab, foi motivado pelas tentativa dos empresárias da cantora em interná-la numa clínica de reabilitação para tratar o seu alcoolismo. Amy Winehouse ainda foi recordista de vendas no Brasil entre os anos de 2008 e 2009, com 505 mil exemplares vendidos, ultrapassando Beyoncé e Rihanna.





Entretanto, em paralelo à bem-sucedida carreira profissional, Amy sofria com problemas pessoas. Seu relacionamento conturbado com o ex-assistente de vídeo Blake Fielder-Civil, o uso de drogas e a perda de peso se tornaram assuntos recorrentes nos tabloides da época, levando-a a se afastar da indústria musical em 2008.





Visualmente, Amy Winehouse foi e ainda é um símbolo imagético com a forte sombra preta em torno dos olhos e o exagerado penteado de colmeia (beehive), que foi muito popular nos anos 60, levando Amy a ser comparada à atriz francesa Brigitte Bardot pelo estilista alemão Karl Lagerfeld.


Compartilhar no Google Plus

Sobre WEB INTERATIVA

DEIXE SEU RECADO