Coca-Cola de maconha está em estudo após quedas nas vendas de refrigerante


A companhia norte-americana Coca-Cola informou nesta segunda-feira, 17, que está estudando entrar no crescente mercado das infusões à base de maconha. O comunicado da empresa foi divulgado depois que a agência Bloomberg, especializada em informação econômica, noticiou que a famosa marca de bebidas está em conversações com a Aurora Cannabis Inc., uma companhia com sede em Edmonton (Canadá) que tem licença para produzir essa droga. A bebida conteria canabidol (CBD), que é um dos componentes presentes na Cannabis, mas que, ao contrário do THC (tetrahidrocanabinol), não é uma substância psicoativa, e por isso é legal em muitos países.

Esse novo movimento da The Coca-Cola Company é parte da sua estratégia de diversificar sua oferta de bebidas. Em março deste ano, a empresa anunciou que lançaria no Japão o primeiro produto alcoólico da sua história. O fabricante de refrigerantes também chegou recentemente a um acordo de colaboração com a Bodyarmor, empresa especializada em bebidas isotônicas, da qual é acionista o ex-jogador de basquete Kobe Bryant. Nessa transação, o gigante norte-americano se tornou acionista minoritário da Bordyarmor.

A Bloomberg especificou em sua nota, publicada nesta segunda-feira, que por enquanto não há nenhum tipo de garantia de que a operação entre as duas companhias irá adiante. Entretanto, as ações da Aurora subiram 22%, e Coca-Cola também teve alta – menos expressiva, devido a preocupações paralelas com tarifas comerciais – no mercado de Nova York.

A indústria da maconha desperta o interesse de grandes empresas desde que o Canadá e vários Estados dos EUA – como a Califórnia – legalizaram o uso recreativo dessa droga. A partir de 17 de outubro a maconha será legal no Canadá, onde as duas câmaras do Parlamento autorizaram seu uso recreativo. Entretanto, as companhias norte-americanas se mantêm cautelosas: têm medo de entrarem em um negócio que é ilegal nos EUA, segundo as leis federais.

A Coca-Cola e a Aurora Cannabis emitiram comunicados em separado manifestando seu interesse em infusões feitas com canabidiol, mas acrescentaram que não podem dar outras informações. Segundo a Bloomberg, as duas companhias poderiam desenvolver produtos que aliviem inflamações, dores ou cãibras.

Uma associação entre a Coca-Cola e a Aurora Cannabis representaria a primeira entrada de um importante fabricante de bebidas não alcoólicas no mercado de produtos relacionados com a maconha, até agora uma área quase exclusiva da indústria do álcool. A cervejaria Corona, Constellation Brands chegou em agosto a um acordo para investir cinco bilhões de dólares canadenses (15,84 bilhões de reais) na aquisição de 104,5 milhões de ações do produtor de maconha Canopy Growth, elevando assim sua participação para 38%. Além disso, a cervejaria Molson Coors Brewing Co's fabricará infusões feitas com essa planta com a companhia Hydropothecary Corp.

El País
Compartilhar no Google Plus

Sobre WEB INTERATIVA

DEIXE SEU RECADO