MP-BA recebeu 308 denúncias de discriminação racial e religiosa em 2018

Foto: Divulgação/ MP-BA


Redação: Milena Teixeira

Os baianos estão mais atentos as situações de racismo e intolerância religiosa. Até outubro deste ano, o Ministério Público do Estado (MP-BA) recebeu 308 denuncias de discriminação racial ou religiosa, sendo 30 levadas à Justiça. A  informação é do Grupo de Atuação Especial de Proteção dos Direitos Humanos e Combate à Discriminação (GEDHDIS).

Os números do MP-BA mostram houve um aumento no número de denúncias. Nos anos anteriores foram registrados: 63 casos em 2014, 126 em 2015, 235 casos em 2016 e 273 em 2017.

O número de denúncias de discriminação religiosa contra adeptos de religiões de matriz africana no Brasil feitas pelo Disque 100, serviço de atendimento 24 horas do Ministério de Direitos Humanos, também aumentou 7,5% em 2018. Foram 71 denúncias do tipo feitas de janeiro a junho deste ano, contra 66 no mesmo período de 2017.

Aplicativo para denunciar
Para atender essas demandas, MP-BA lançou, na última segunda-feira (19), o aplicativo Mapa do Racismo e Intolerância Religiosa. A ferramenta é gratuita e o download pode ser feito em dispositivos dos sistemas android ou iOS.

O mapa registra denúncias de discriminação racial, intolerância religiosa, injúria racial e racismo institucional. A ocorrência pode ser feita de forma anônima, para a preservação da imagem do indivíduo denunciante.

A promotora do MP-BA, Lívia Vaz, disse que o aplicativo vai ajudar na diminuição dos casos de discriminação. “Se há incidência do crime em um município específico ou em uma localidade, por exemplo, a gente age impulsionando políticas públicas locais para que esses casos deixem de acontecer”, pontua.

Lívia diz ainda que  é importante que os casos de racimos sejam denunciados e que a vítima deve ficar atenta ao boletim de ocorrência. “A primeira iniciativa deve ser chamar a polícia militar e identificar testemunhas. Na delegacia, o cidadão deve ler, de fato, como foi registrado essa ocorrência para”, sugere.

O usuário do aplicativo poderá ter acesso fácil a notícias e outros matérias informativos sobre racismo.

Compartilhar no Google Plus

Sobre WEB INTERATIVA

DEIXE SEU RECADO