Neto sobre saída de cubanos: ‘É preciso intervenção rápida’

Foto: Felipe Iruatã/ bahia.ba


Redação: Bahia.ba

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), comentou, nesta quinta-feira (15), que o futuro governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) tem o “direito” de mudar o programa Mais Médicos, desde que tenha capacidade de suprir as demandas com a saída dos profissionais cubanos.

“Não é possível acabar com o programa de uma hora para outra”, afirmou Neto, de acordo com o Correio. “É preciso uma intervenção rápida. O governo tem o direito de mudar o programa, desde que tenha capacidade de suprir as demandas”, completou.

O governo cubano anunciou a saída dos profissionais que atuam no programa no País depois de declarações de Bolsonaro. Na Bahia, de acordo com a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), 846 dos 1.522 médicos que atuam no programa são cubanos.

O Ministério da Saúde, do governo do atual presidente Michel Temer, já anunciou que abrirá um edital para repor as vagas abertas com a saída dos profissionais do país caribenho.

Apoio a Bolsonaro

Presidente nacional do DEM, Neto declarou apoio à candidatura do presidente eleito no segundo turno, mas condicionou o apoio ao futuro governo conforme a agenda propositiva.

O DEM, no entanto, já garantiu vaga no governo Bolsonaro com o deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS), futuro chefe da Casa Civil, com o qual o prefeito de Salvador deve se reunir na próxima quarta-feira (21), em Brasília.

Há também a previsão de um encontro entre Neto e o presidente eleito na terça-feira (20).

Compartilhar no Google Plus

Sobre WEB INTERATIVA

DEIXE SEU RECADO