Conheça Vitinho, o cão de Brumadinho que comoveu a internet ao fazer vigília pelos donos

(foto: Alexandre Guzanshe/EM)


Cecília Emiliana/Estado de Minas

Ele só queria voltar pra casa depois de um cotidiano passeio pelas redondezas do sítio onde mora, na rua Alberto Flores, em Brumadinho, Região Metropolitana de Belo Horizonte. Mas havia 12,7 milhões de metros cúbicos de lama no caminho. O rejeito - derramado pelo rompimento da barragem de Feijão na última sexta-feira (25) - quase o soterrou. Vitinho (esse é o nome dele), felizmente, foi salvo pelo Corpo de Bombeiros. Ele agora vive a agonia de esperar por seus entes queridos. Insistente, fez questão de permanecer nas proximidades de casa, situada a cerca de 500 metros da pousada Nova Estância - varrida pela catástrofe -, embora tenha sido retirado do local várias vezes para sua própria segurança. Vitinho, no caso, é um cachorro.

A fidelidade do animal chamou atenção da reportagem do Estado de Minas, que acompanha os trabalhos da equipe de resgate dos bombeiros. A foto dele, publicada neste sábado no Twitter e no Instagram do jornal, rendeu mais de 7 mil curtidas e centenas de comentários comovidos.

O EM localizou o dono do cão: Lucas Assis, de 32 anos. O sítio em que ele vive com os pais e a namorada em Brumadinho está entre as propriedades temporariamente interditadas pela Defesa Civil. "Antes de sairmos, minha mãe o chamou várias vezes, mas ele não atendeu. Ele conhece bem a região, sabe o caminho de casa, mas achamos que ele não retornou porque está confuso por causa do barulho das aeronaves e a perturbação toda. De todo modo, deixamos comida e água pra ele", relata o auxiliar administrativo.

A família ficou hospedada em uma pousada da cidade durante quase todo o fim de semana. A residência foi finalmente liberada no início desta noite, mas o reencontro com Vitinho ainda não aconteceu. "Nós encontramos nossa gata e um outro cachorro, mas o Vitinho até agora, nada. Estamos aflitos", diz Vanessa Tavares, a namorada de Lucas. "Chegamos a sair para procurá-lo, sem sucesso. Infelizmente, o acesso a área em que ele foi fotografado é restrito, então não podemos ver se ele ainda está lá. Agradecemos quem puder nos dar informações sobre ele e acolhê-lo", diz o rapaz.

Compartilhar no Google Plus

Sobre WEB INTERATIVA

0 comentários:

Postar um comentário

DEIXE SEU RECADO