Estudo inédito identifica 60 substâncias tóxicas em fraldas descartáveis

Foto reprodução

Relatório da Agência Nacional de Segurança Sanitária de Alimentação, do Meio Ambiente e do Trabalho (Anses), da França, alertou sobre a presença de 60 substâncias tóxicas em fraldas descartáveis infantis. De acordo com o documento, publicado nesta quarta-feira (23), foi encontrado até mesmo glifosato, o agrotóxico mais usado no mundo e apontado como causador de câncer.

Em diversos casos, segundo informações da Rádio França Internacional, as marcas ultrapassaram os limites estabelecidos para uso de elementos químicos na fabricação dos produtos. Há ainda desreguladores hormonais e resíduos químicos que podem originar distúrbios no sistema reprodutivo. Algumas substâncias são acrescentadas intencionalmente, como perfumes, que podem causar alergias em um público tão sensível quanto os bebês.

A Anses analisou, entre 2016 e 2018, 23 marcas disponíveis no mercado francês e "em condições reais de uso". Nenhuma marca é citada especificamente no relatório. O documento ressalta que, na presença de urina, os químicos "entram em contato direto e prolongado com a pele dos bebês".

Após a publicação do relatório, os ministros franceses da Transição Ecológica, François de Rugy, da Saúde, Agnès Buzyn, e da Economia, Bruno Le Maire, divulgaram um comunicado no qual pedem "aplicação imediata" das recomendações da agência. Foi convocada uma reunião de emergência com fabricantes e distribuidores para que as substâncias prejudiciais sejam eliminadas das fraldas em até 15 dias.

Bahia Notícias
Compartilhar no Google Plus

Sobre Web Interativa

0 comentários:

Postar um comentário

DEIXE SEU RECADO