Família suspende velório esperando ressurreição de jovem


A despedida de uma jovem de 23 anos causou comoção em um cidade de Alagoas, no Nordeste do país. Jessica Lima estava internada desde o dia 23 de dezembro no hospital de Palmeira dos Índios e morreu vítima de infecção generalizada. Na data ela sofreu inúmeras paradas respiratórias. 

Quando era velada na sala de sua casa, a família de Jessica resolveu retirar o corpo do caixão e colocou em uma cama. Eles acreditavam que ela iria ressuscitar. Foi necessária a intervenção da polícia e um médico para conseguir enterrar a jovem.
A confusão começou, segundo a polícia, quando familiares afirmaram que viram o corpo de Jessica se mexer dentro da urna. Além disso, uma tia, que é evangélico, teria feito um ritual e afirmado que ela acordaria às 7 horas de sábado, 5.
Em poucos minutos a história da ressureição de Jessica tomou conta da cidade de Delmiro Gouveia, cidade da jovem. Dezenas de curiosos se reuniram na porta da casa onde o corpo era velado.

Sabendo da notícia, o delgado da cidade, Daniel Mayer esteve no local. A família se manteve irredutível. Um médico foi chamado também. "A família disse que não deixaria levarmos o corpo para uma unidade de saúde para ser examinado, mas convencemos os pais da falecida a deixar um médico examinar o corpo. Trouxemos o médico e ele reforçou o atestado de óbito", disse o delegado.

"Depois de muito conversar, tive acesso ao corpo e fiz umas manobras para identificar se a paciente foi a óbito, como analisar a dilatação das pupilas, a temperatura do corpo, que estava gelado, apesar de ainda não apresentar rigidez nas articulações", disse o médico Petrúcio Bandeira.

Apesar das negativas, o enterro aconteceu por volta das 17 horas do sábado. Uma multidão acompanhou a despedida no cemitério de Delmiro Gouveia e a família ainda acreditava na ressureição de Jessica.

Horas depois parte da família ainda continuava no cemitério fazendo uma vigília à espera de Jessica. 

Istoé
Compartilhar no Google Plus

Sobre WEB INTERATIVA

0 comentários:

Postar um comentário

DEIXE SEU RECADO