Corpo do jornalista Ricardo Boechat é velado em São Paulo

Reprodução: TV Bahia


Folhapress

O corpo do jornalista Ricardo Boechat, 66, morto após a queda de um helicóptero em São Paulo neste segunda-feira (11) está sendo velado no MIS (Museu da Imagem e do Som), na zona sul da capital paulista. O velório, aberto ao público, começou por volta da meia-noite desta terça (12). O caixão chegou ao museu às 23h20 e foi carregado até o auditório com a ajuda de familiares.

Na chegada do corpo, jornalistas e fãs, que aguardavam a cerimônia, receberam o caixão com uma salva de palmas. Durante as primeiras horas familiares e amigos chegavam muito abalados ao museu.

João Carlos Saad, presidente do Grupo Bandeirantes, foi um dos primeiros a chegar. Ainda sem acreditar, disse que Boechat deixa um grande aprendizado para o jornalismo. “Quando a gente acabar de apurar este caso nós vamos encontrar um fio condutor entre essas tragédias que vem acontecendo. São sempre coisas que não estão adequadas. Desde uma barragem que não está adequada, um dormitório que não está adequado e de possivelmente um helicóptero que não estava adequado”, afirmou Saad.

Acompanhada das duas filhas e da Dona Mercedes, 86, mãe do Boechat, Veruska Boechat disse que a ficha ainda não tinha caído e agradeceu as condolências. “Ele foi o ateu que mais praticava o amor ao próximo”, disse a viúva.

Acidente
O helicóptero em que estava o jornalista caiu na Rodovia Anhanguera, em São Paulo, no início da tarde desta segunda-feira (11) e bateu na parte dianteira de um caminhão.

Além de Boechat, estava o piloto Ronaldo Quattrucci, que também morreu no local do acidente.

Compartilhar no Google Plus

Sobre WEB INTERATIVA

0 comentários:

Postar um comentário

DEIXE SEU RECADO