Chuva isola cidades, provoca desabamentos e deixa 12 mortos na Grande SP

Divulgação


Redação: G1

A forte chuva que começou na noite de domingo (10) e se estende por esta segunda-feira (11) provocou alagamentos em diversas regiões da Grande São Paulo e bloqueou vias de acesso à capital paulista. A previsão é de mais chuva durante o dia, mas com menos intensidade. Houve ao menos 12 mortes e seis feridos.

Os óbitos aconteceram em cidades da Grande SP e na capital paulista:

Quatro em deslizamento de terra em Ribeirão Pires;
Uma criança soterrada após deslizamento de terra em Embu das Artes;
Três pessoas afogadas em São Caetano do Sul, duas na Avenida dos Estados e uma no bairro Taboão;
Duas pessoas afogadas em Santo André;
Uma afogada em São Bernardo do Campo;
Uma afogada no Ipiranga, na capital.

Também há registros de feridos:

Dois no desabamento em Ribeirão Pires;
Na Zona Leste, um deslizamento de terra atingiu uma casa – a mãe e duas crianças ficaram feridas (uma delas em estado grave).
Dois feridos sem especificação do local

Divulgação



Os lugares mais afetados foram os bairros de Vila Prudente e do Ipiranga, ambos na capital, e as cidades do ABC. Os bombeiros contabilizam, entre 0h e 16h20, 740 chamados para ocorrências de enchentes e alagamentos, 123 para quedas de árvore e 44 ocorrências de desabamento/desmoronamento.

Em Ribeirão Pires, no ABC, o desabamento de uma casa deixou quatro mortos e dois feridos, segundo a Prefeitura da cidade. Outras duas pessoas morreram na Avenida dos Estados, em São Caetano do Sul, também no ABC. Na mesma cidade, uma vítima morreu afogada.

Uma pessoa morreu no bairro Taboão, em São Bernardo do Campo, segundo o porta-voz dos bombeiros, capitão Marcos Palumbo. Em Santo André, foram registradas duas mortes, entre elas a de um homem de 45 anos que estava em carri que caiu no Rio Tamanduateí.


Divulgação


Na capital, uma pessoa morreu no Ipiranga, Zona Sul. Em Embu das Artes, na Grande São Paulo, o deslizamento de terra sobre uma casa deixou três pessoas soterradas. Uma das vítimas, uma criança, morreu no Hospital Geral de Itapecerica da Serra, segundo a Defesa Civil estadual.

De acordo com a Prefeitura da cidade, o desmoronamento ocorreu na Rua Caqui, no Jardim Pinheirinho. Os pais, Mike Lopes Alves e Karina Santos Oliveira Lopes, saíram com escoriações, mas o filho deles, Bernardo Oliveira Lopes, de 1 ano e 2 meses, morreu.

No Jardim Zaíra, em Mauá, três casas desabaram após um deslizamento de terra. Ninguém se feriu. O mesmo bairro havia registrado a morte de quatro crianças em fevereiro, após deslizamento.

No Parque São Rafael, Zona Leste da capital, um deslizamento de terra atingiu uma casa. A mãe e duas crianças ficaram feridas – uma delas em estado grave.

No Rio Pequeno, na Zona Oeste de São Paulo, uma casa desabou. Segundo a vizinha que fez a gravação, Gelma Pereira, não houve feridos, porque os moradores ouviram o barulho de movimento de terra antes da casa desabar e saíram do imóvel, que fica na Rua Gertrudes Cunha.

No bairro do Sacomã, sudeste da capital, carros foram levados pela água. Outros veículos ficaram ilhados pela enchente, forçando seus ocupantes a subir no teto desses automóveis.

A circulação de trens na Linha 10-Turquesa da CPTM está interrompida, sem previsão de normalização.

A região do Ipiranga também seguia em estado de alerta às 8h por conta do transbordamento do Rio Tamanduateí, na região do piscinão Guamiranga. O piscinão foi inaugurado em fevereiro de 2017.

A Prefeitura de São Paulo anunciou a suspensão do rodízio e da Zona Máxima de Restrição de Circulação, e liberação da circulação de fretados e da Zona Azul.



Compartilhar no Google Plus

Sobre WEB INTERATIVA

0 comentários:

Postar um comentário

DEIXE SEU RECADO