MÃE COLOCA CHUMBINHO EM SORVETE E MATA PRÓPRIO FILHO NO CEARÁ


Um laudo concluído pela Polícia Civil do Ceará aponta que Cristiane Coelho matou o filho Lewdo Bezerra, de 9 anos, envenenado ao colocar uma substância com um sorvete de morango, segundo o delegado responsável pela investigação do caso Wilder Brito. "A Cristiane, que dizia ter sido espancada pelo marido, matou o filho envenenado fazendo uso de sorvete de morango. Não há mais dúvida", declarou o delegado à TV Verdes Mares, nesta quarta-feira, após a conclusão do inquérito. 

De acordo com ele, a prisão preventiva vai ser pedida ainda nesta semana. Cristiane Coelho irá responder por homicídio triplamente qualificado. O assassinato do menino autista Lewdo ocorreu em novembro de 2014 e a principal supeita do caso já era a mãe.

Lewdo e o pai, o subtenente do Exército Francilewdo Bezerra Severino, foram envenenados na madrugada de 11 de novembro, com veneno para rato, popularmente conhecido como "chumbinho". 

Francilewdo passou uma semana em coma, mas se recuperou e não morreu. Ele chegou a ser apontado como suspeito de homicídio, o que foi descartado após conclusão do laudo, segundo o titular da 16° DP. 

Em primeiro depoimento à polícia, Cristiane declarou que o marido era quem havia matado o filho, usando tranquilizantes, além de tê-la agredido, e em seguida tentado suicídio. O laudo toxicológico, no entanto, revelou que o menino morreu por ingestão de veneno de rato. 

Francilewdo chegou a ser autuado em flagrante por homicídio, lesão corporal e pela Lei Maria da Penha e mantido sob escolta no Hospital Geral do Exército Brasileiro. 

Em novembro, a polícia descobriu uma página do militar no Facebook, onde ele teria publicado informações sobre o crime que cometeria. O suposto anúncio, foi atualizado enquanto Francilewdo estava em coma. Seu celular estava com a esposa, que havia viajado para Recife, para o enterro do filho Lewdo. 

Investigações revelaram que a mãe do menino usava o notebook para pesquisas sobre "como envenenar pessoas com chumbinho", enquanto o marido usava para fins de trabalho. 

A polícia chegou a encontrar veneno durante uma perícia feita na casa da família no dia 30 de dezembro, dentro de um encanamento de pia. Francilewdo recebeu alta médica no dia 12 de dezembro após ingestão de veneno e teve a prisão preventiva revogada pela Justiça.


 Fonte: IG.

Sobre Felipe Fister

WEB INTERATIVA - PORTAL DE NOTÍCIAS - Redacao@interativapn.com

0 comentários:

Postar um comentário

reverse_time-href="https://www.interativapn.com/" data-numposts="5" data-width="">