MPF denuncia grupo por venda de cigarros contrabandeados e medicamentos falsificados na BA

Foto: Valter Pontes / Agecom

Três homens e uma mulher foram denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF) por crime de associação criminosa devido à venda de cigarros contrabandeados e de medicamentos falsificados na feira de São Joaquim, em Salvador.


De acordo com o MPF, os suspeitos identificados como Gerre Alberto de Cerqueira de Jesus, José Carlos Almeida Andrade, Leandro dos Santos Gomes e Lucimeire dos Santos Gomes atuavam, há pelo menos seis anos, na comercialização de cigarros contrabandeados e de medicamentos falsificados.

A denúncia contra os suspeitos foi ajuizada em 17 de junho deste ano, mas foi divulgada na segunda-feira (8). Segundo o órgão, três deles já respondem a ações penais propostas pelo MPF por contrabando de cigarros, medicamentos e anabolizantes.

O MPF informou que José Carlos e Gerre Alberto eram fornecedores de medicamentos, anabolizantes e cigarros contrabandeados e abasteciam uma boa parte desse “mercado” em Salvador, que era integrado por clientes individuais e lojistas da capital, especialmente da feira de São Joaquim.

De acordo com o órgão, as investigações comprovaram que existe um forte vínculo associativo entre todos os denunciados para facilitar a execução dos ilícitos, assegurar o fornecimento das mercadorias aos clientes finais e garantir a impunidade dos crimes cometidos pelo grupo.

Os suspeitos começaram a ser investigados durante a Operação Feira, após apreensões que aconteceram no dia 23 de maio do ano passado.

Os policiais federais apreenderam 280 caixas de medicamento genérico, chamado Cloridrato de Sibutramina Monoidratada, 20 caixas de Dietary Supplement, chamado Lipo6 Black da Nutrex, 93 caixas de Menthol Balm, da marca Qing Liang You e uma caixa de papelão contendo medicamentos diversos, tais como Androlic, Metandrostenolona e Lipostabil, no estabelecimento de Gerre Alberto.

Já na loja dos irmãos Leandro e Lucimeire foram apreendidos 334 pacotes de cigarro de marcas estrangeiras diversas, importadas do Paraguai, Uruguai e Indonésia, avaliados em R$ 16,7 mil.

Em outra loja, foram apreendidos 137 pacotes de cigarro, além de 40 carteiras de cigarros avulsas, avaliados em R$ 7 mil.

O MPF requer a condenação dos acusados pelo crime de associação criminosa, previsto no Código Penal (art. 288), cuja pena varia de um a três anos de reclusão. 

O G1 não conseguiu contato com as defesas dos investigados.

G1/BA

Sobre Web Interativa

WEB INTERATIVA - PORTAL DE NOTÍCIAS - Redacao@interativapn.com

0 comentários:

Postar um comentário