Pastora é morta a tiros pelo ex-marido durante culto evangélico



A pastora Rose Meire Fermino de Andrade Mendonça, de 48 anos, morta a tiros pelo ex-marido na noite de terça-feira (27), em Aquidauana, a 131 km de Campo Grande, tentava o tirar de casa há 10 anos, segundo a polícia. Catorze dias antes do crime, ela esteve na Delegacia da Mulher (DAM) do município e contou a relação já tinha chegado ao fim, embora estivessem convivendo no mesmo teto há 28 anos.



Ainda conforme o boletim de ocorrência, registrado no dia 13 deste mês, a mulher dizia que ambos tiveram um relacionamento por 28 anos, tendo 2 filhos. No entanto, Rosemeire e o motorista de caminhão Carlos Alberto Mendonça, de 58 anos, "mal se falavam" e ela estava com medo da separação, por isso, solicitou medida protetiva. O pedido foi concedido no dia 20 de agosto.

Um dos filhos do casal, de 26 anos, disse ao G1 apenas que "o momento está sendo muito díficil".

Entenda o caso
A pastora foi assassinada a tiros pelo ex-marido dentro da igreja de Aquidauana. De acordo com a Polícia Militar (PM), a mulher estava no altar fazendo pregação, quando o homem entrou e atirou. Tudo na frente dos fiéis.

Rose Meire morreu no local e o ex-marido fugiu. Enquanto a polícia fazia buscas por ele, fiéis avisaram que ele havia retornado à igreja e tentado suicídio. Ele inclusive deixou uma carta para os filhos. O documento foi apreendido pela polícia e está nos autos do inquérito.

O homem foi socorrido para o hospital da cidade e está sob custódia da polícia. A vítima estava desde o dia 20 com medida protetiva contra ele, que determinava que ele saísse da residência do casal.

G1

Sobre Web Interativa

WEB INTERATIVA - PORTAL DE NOTÍCIAS - Redacao@interativapn.com

0 comentários:

Postar um comentário