Confira 5 situações em que o sexo deve ser evitado

Gaelle Marcel/Unsplash


São poucas as situações em que o sexo está contraindicado. No entanto, existem alguns problemas de saúde que podem necessitar de uma pausa na atividade. Algumas vezes, o ato pode agravar o problema e, em outras, dificultar a recuperação.

1.    Dor durante o sexo

A dor durante o sexo, cientificamente chamada de dispareunia, também pode ser acompanhada por outros sintomas, como ardor ou coceira. Nos homens, a principal causa é a infecção na uretra e bexiga, mas também pode acontecer devido à fimose ou à curvatura anormal do pênis. Nas mulheres, as infecções também são uma das principais causas da dispareunia, assim como a endometriose e a doença inflamatória pélvica, a DIP.

Nestes casos, é aconselhado consultar um urologista ou ginecologista para identificar o problema e iniciar o tratamento adequado, evitando assim o agravamento ou até a transmissão para o parceiro, no caso de infecções, por exemplo.

2.    Tratamento de DST’s

Durante o tratamento de qualquer doença sexualmente transmissível o ideal é evitar o contato íntimo, mesmo com preservativo, não só para diminuir as chances de contaminar o parceiro ou a parceira, mas também para facilitar a recuperação.

Na maior parte dos casos, o tratamento deve ser feito por ambos os parceiros e a atividade sexual só deve ser iniciada após indicação médica e quando ambos tiverem terminado o tratamento.

3.    Feridas ou traumas na região íntima

Além de aumentarem o risco de transmissão de doenças sexuais, as feridas na região íntima podem agravar ou infeccionar depois da relação sexual.

Também é indicado evitar relações sexuais após um parto em que foi realizada uma episiotomia, que corresponde a um corte no períneo da mulher para permitir o nascimento da criança pela vagina — caso contrário, não haverá tempo suficiente para cicatrização, levando à dor e a complicações relacionadas à ferida.

Em casos de ferida na região íntima, é aconselhado consultar um clínico geral para realizar um tratamento e avaliar se podem ser sinal de uma doença sexualmente transmissível, especialmente se estiverem inchadas, muito doloridas e com vermelhidão intensa.

4.    Infecção urinária

A infecção urinária, por si só, é um problema bastante doloroso que provoca muito desconforto mesmo durante as situações mais simples do dia-a-dia, como caminhar ou urinar. Em um quadro assim, a dor provocada durante uma relação íntima é muito mais intensa.

Além disso, os movimentos bruscos durante o sexo podem causar pequenas feridas na uretra, o que facilita o desenvolvimento de bactérias e pode piorar a infecção urinária. É aconselhado esperar pelo final da infecção para voltar a ter contato íntimo.

5.    Sistema imune enfraquecido

Pessoas que estão com o sistema imune enfraquecido devido a doenças virais, como gripe ou dengue, podem ter uma recuperação mais lenta se mantiverem o contato íntimo durante o tratamento, pois esse tipo de atividade provoca um esforço físico que deixa o organismo mais cansado, dificultando o processo de recuperação.

Além disso, pessoas com doenças crônicas que enfraquecem o sistema imune, como HIV, devem ter cuidado durante as relações, utilizando sempre preservativo para evitar passar a doença e pegar outras.

Metrópoles DF (Com informações do portal Tua Saúde)

Sobre Web Interativa

WEB INTERATIVA - PORTAL DE NOTÍCIAS - Redacao@interativapn.com

0 comentários:

Postar um comentário

reverse_time-href="https://www.interativapn.com/" data-numposts="5" data-width="">