Ponto Novo: Produto da China comprado pela internet chega na cidade, existe risco de estar contaminado com coronavírus? Especialistas respondem


Redação: Web Interativa
redacao@interativapn.com

Muitas pessoas esperam pacientemente suas compras de sites da China como AliExpress, Wish e Lightinthebox, surgiu a dúvida: será que os produtos originários da China, onde o agente do coronavírus foi primeiramente identificado, podem oferecer risco de infecção a quem abrir uma encomenda?

Um internauta da Web Interativa enviou a imagem de um produto comprado na China, que chegou nesta semana em Ponto Novo questionando a situação.

Em pesquisas em grandes sites, como na coluna Bem Estar do G1 encontramos respostas de especialistas: "Não há risco", diz a infectologista Nancy Bellei, consultora para a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) e professora na Unifesp. 

O médico Drauzio Varella também diz que o vírus só é transmitido entre humanos e não sobrevive mais de 24 horas fora do organismo humano ou de algum animal. "Você pode, sim, comprar produtos chineses à vontade."

O Ministério da Saúde afirma que não há nenhuma evidência que produtos enviados da China para o Brasil tragam o novo coronavírus. Argumenta ainda que vírus geralmente não sobrevivem muito tempo fora do corpo de outros seres vivos, e o tempo de tráfego destes produtos costuma ser de muitos dias. O órgão esclarece que a a Anvisa tem monitorado diariamente os portos, aeroportos e fronteiras e emitido alertas sonoros de conscientização para os passageiros.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) também é enfática ao dizer em sua seção de mitos sobre o coronavírus que é totalmente seguro receber encomendas da China sem risco de contrair a doença.

Sobre Web Interativa

WEB INTERATIVA - PORTAL DE NOTÍCIAS - Redacao@interativapn.com

0 comentários:

Postar um comentário

reverse_time-href="https://www.interativapn.com/" data-numposts="5" data-width="">