Na Bahia, prefeitura contrata empresa para fornecer sacos de cadáver ao município e causa polêmica


Foi publicado no Diário Oficial do Município de Conceição do Coité de quarta-feira, 20, na Categoria: Licitação – Extratos de Contratos – Maio 2020 – Edição Nº 01711, página 2, a contratação da empresa Agnus Comercial de Material Construção para o fornecimento de sacos para cadáveres, decorrentes das complicações de saúde ocasionadas pela infecção do novo coronavírus (covid-19), que serão utilizados na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), visando oferecer suporte adequado à população no combate à pandemia.
De acordo com o contrato, cuja vigência teve início dia 20, e que nos próximos 90 dias deverá entregar o material, teve o custo de R$ 10.620,00.

O fato ganhou repercussão nesta quinta-feira, 21, depois que o vereador e líder da oposição na Câmara, José Jailmo Pereira, popularmente conhecido por Nego Jai (DEM), gravou um vídeo e publicou em redes sociais repudiando a aquisição dos sacos e afirma que “parece que é um desejo do prefeito fazer uma live para informar que morreu enes pessoas em Conceição do Coité. E nós sabemos que a população de Conceição do Coité está se prevenindo através da Organização Mundial de Saúde na quarentena e graças ao nosso bom Jesus, nesse exato momento, nunca morreu ninguém e nem tem ninguém pra morrer. Agora o prefeito fazer uma aquisição, parece que ele está desejando que o povo de Coité morra, pra ele encher o ego de Coronavírus”, protestou Nego Jai.
Vereador Nego Jai
Jailmo comparou o prefeito Francisco de Assis (PT) com um personagem Udorico Paraguassu da novela o Bem Amado da Globo na década de 1980, que era o prefeito de Sucupira, interpretado pelo ator Paulo Gracindo que queria inaugurar um cemitério “e hoje o prefeito de Coité quer inaugurar um saco de cadáver com o dinheiro público”, afirmou o vereador e pediu as famílias que tiveram algum ente querido contaminado, para repudiarem essa atitude do prefeito.
Vereador Betão Gordiano rebateu
O vereador Adalberto Neres Gordiano, popularmente conhecido por Betão do PT ou Betão Gordiano, tão logo viu a publicação de Nego Jai, saiu na defesa do prefeito Assis, assim como tem feito nas discussões no plenário da Câmara. Ele escreveu o seguinte texto:
Sobre a polêmica da licitação dos sacos para óbitos.
O que tem de errado? Se alguém souber, espero por uma explicação plausível e não por esse alarde todo feito pela oposição de Coité e em especial pelo vereador Nego Jai.
Vale salientar que o protocolo do Ministério da Saúde e Sesab é que todos os óbitos causados pela covid19, sejam colocados sacos, respeitando assim as recomendações exigidas.
Bom, todas as pessoas quem entendam o mínimo do mínimo de gestão pública ( acho que o vereador deve entender) sabe que nada em setor público se compra sem licitação em suas modalidades diversas. Então, se o protocolo do Ministério da Saúde e da Sesab, determina que caso tenha algum óbito causado pelo covid-19, não se pode esperar pra fazer a licitação posteriormente, assim sendo, tem que se ter a licitação e no mínimo um lote do material já em estoque para se necessário utilizar.
O Município licitou, não efetivou nenhum pagamento ainda e vai adquirir um lote com uma quantidade mínima e espero que não utilize nenhum, porque peço a Deus que nenhum dos nossos venha a falecer por causa disso.
Quero deixar as pessoas informadas que a UPA servirá não apenas para Coité. A Sesab está discutindo com os municípios vizinhos uma possibilidade de funcionamento amplo.
Vocês devem ter percebido via jornais que em Manaus o prefeito mandou abrir valas com uma retroescavadeira, com a finalidade única de esperar os mortos pelo covid-19, o que tem de errado?
Vejo, sinceramente, mais um alarde desnecessário da oposição com essa situação e nada mais do que isso.
Abraços
Betão Gordiano
O Calila Notícias logo nas primeiras semanas da pandemia publicou uma reportagem sobre o prefeito de Jaguarari, Everton Rocha, que teria feito aquisição de uma grande quantidade de urnas funerárias (caixões), entendendo que estaria adquirindo como prevenção, mas gostaria que a oposição depois fizesse criticas contra ele por ter jogado dinheiro fora, ou seja, sua intenção não era torcer pelo pior, mas que diante do que estava acompanhando em outros países, agiu com o intuito de prevenir.
Prefeitos de várias cidades do Brasil neste período de pandemia receberam oficio do Exército Brasileiro querendo saber sobre quantos cemitérios tinham em suas cidades, capacidade de sepulturas, entre outros questionamentos.
Segundo o Comando Militar do Leste, trata-se de uma “coleta de dados”. O CML explicou que “planeja sua atuação com base no levantamento de cenários hipotéticos, visando a mitigar os efeitos nocivos da pandemia junto à sociedade”.
Estudos científicos preveem números assustadores para a população de Coité, de acordo com a médica Lara Rocha, os números mostram que se 666 pessoas adoecerem em Coité, cerca de 100 precisariam de internamento, o que iria colapsar a saúde, pois a cidade não tem leito para atender essa quantidade, dai a importância do achatamento da curva para frear a transmissão do vírus pra que o adoecimento aconteça gradualmente. Desses doentes 5% precisaria de leito de UTI o que corresponde a 33 pacientes. E aplicando a taxa de mortalidade brasileira, seriam 45 mortes, no cenário de 1% da população coiteense.
Com 20% da população coiteense que é de pouco mais de 66 mil habitantes infectada, seria 13.322 doentes, destes 15% necessitaria de internamento que corresponde a 1998 pessoas e 5% deles necessitariam de atendimento especializado em UTI, ou seja, 666 pessoas. E aplicando a taxa de 6,8% de mortalidade no país, Coité teria 903 óbitos.
Diante dessa triste realidade, onde tem uma doença que vem matando no mundo inteiro, que não tem vacina e nem um remédio com eficácia comprovada, e que a principal recomendação dos órgãos de saúde do mundo, do Brasil, dos estados e municípios é o isolamento social, cada um deve colocar isto em prática, para que posteriormente Everton Rocha, Assis, entre outros, ouçam apenas que investiram em caixões e sacos e não foram usados.
Os números da Covid-19 em Jaguarari no boletim epidemiológico desta quinta-feira, mostram que até o momento foram registrados 5 casos, sendo dois testados positivos pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Estado da Bahia (LACEN) que já estão curados e três descobertos em testes rápidos que se encontram em isolamento domiciliar. Nenhum casos suspeito.
Coité teve até agora 10 casos confirmados de Covd-19, sendo que 4 já foram curados e seis em isolamento domiciliar. Houve aumento do número de descartados, com 78 exames feitos através teste rápido. Os monitorados caíram para 71, pois, não houve evolução dos sintomas durante os 14 dias. Não tem ninguém esperando resultado pelo quarto dia seguido, o que de certa forma dá uma tranquilidade a população que deve continuar redobrando os cuidados.
 Calila Notícias

Sobre Web Interativa

WEB INTERATIVA - PORTAL DE NOTÍCIAS - Redacao@interativapn.com

0 comentários:

Postar um comentário

reverse_time-href="https://www.interativapn.com/" data-numposts="5" data-width="">