Eleições em Ponto Novo: Terceira pesquisa realizada por grupo de oposição é impugnada pela Justiça eleitoral por indícios de fraudes e irregularidades


A juíza da 149ª Zona Eleitoral, Ana Lúcia Ferreira Matos, determinou a impugnação de mais uma pesquisa de intenção de votos para o município de Ponto Novo, a pesquisa que foi contratada e seria divulgada pelo grupo de oposição que tem como candidato a prefeito o Dr. Thiago Gilleno, e o ex-prefeito Adelson Maia - vice.


A magistrada acatou ação do diretório local do PL, que questionou a metodologia da pesquisa, a qual não apresenta plano amostral com definição de gênero, idade, grau de instrução e nível econômico dos entrevistados, o que entende macular o grau de confiança do resultado apresentado, motivo pelo qual requer tutela de urgência para fins de impedir a divulgação do resultado, o que requer seja confirmado no mérito, com a condenação dos representados à pena de multa prevista para o caso, bem como requer acesso ao sistema interno de dados da pesquisa objeto do feito.


A pesquisa foi realizada pelo GASPARETTO PESQUISAS E ESTATISTICAS LTDA / INSTITUTO GASPARETTO DE PESQUISAS no dia 27/09/2020, com expectativa de divulgação no dia 03/10/2020.


De acordo com o parecer da juíza, “as pesquisas assumem um papel importante para estes eleitores, que têm uma visão superficial de todo o processo político. Ao não se aprofundarem e não questionarem o conteúdo programático dos candidatos, estes eleitores acabam tendo uma opinião apenas parcial e formada, normalmente, nos últimos dias da campanha eleitoral. Ou seja, baseiam suas decisões na intenção de voto da maioria, conforme os resultados das pesquisas (...) Por sua vez, o perigo na demora apresenta-se patente, porquanto os efeitos da divulgação de pesquisa eleitoral inidônea pode prejudicar a paridade entre os concorrentes, mormente quando as eleições estão muito próximas de ocorrerem, ao mesmo que as redes sociais, tais como o Whatsapp e Instagram, onde comumente são divulgados tais resultados, tem amplo pode de divulgação. Ante o exposto, entendendo presentes os requisitos legais, defiro o pedido de tutela de urgência para fins de determinar aos representados que suspendam a divulgação e circulação do resultado da pesquisa eleitoral objeto do feito em qualquer tipo de rede social ou meio de comunicação, até ulterior deliberação, SOB PENA DE MULTA DE R$ 5.000,00 (cinco mil reais) para cada ato que implique em divulgação”.

Além deste levantamento outras duas pesquisas eleitorais contratadas pelo grupo de oposição do município pela empresa MULTIENG SERVIÇOS já haviam sido impugnadas pela justiça anteriormente, onde a sentença comprovou fraudes e danos insanáveis nas realizações das pesquisas anteriores.

Sobre Web Interativa

WEB INTERATIVA - PORTAL DE NOTÍCIAS - Redacao@interativapn.com

0 comentários:

Postar um comentário

reverse_time-href="https://www.interativapn.com/" data-numposts="5" data-width="">