Web Interativa - O portal de notícias da Bahia

Central do Samu em Irecê nega socorro à vítimas de acidentes em Jacobina

Foto: Reprodução/Jacobina Notícias
 

Dois acidentes de trânsito a uma distância de 100 metros um do outro, com quatro vítimas feridas, duas delas aparentemente graves, caídas e desacordadas na via e uma viatura da Polícia Militar atendendo à ocorrência. Esse era o cenário que se tinha na BA-144, entre os distritos de Lages do Batata e Caatinga do Moura, no município de Jacobina, na noite deste domingo (25), conforme relataram policiais militares ao Jacobina Notícias.

Na região onde aconteceram os acidentes, conforme detalhou uma policial, não pega sinal de telefonia celular, o que impossibilitava acionar a central do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), através do 192, em Irecê. As ambulâncias do Samu em Jacobina só podem sair para prestar socorro após a liberação da central de regulação em Irecê.

Sem perder tempo, os policiais militares que estavam no local do acidente seguiram até uma região onde conseguiram conectar à rede wi-fi e pedir, via Whatsapp, para alguns colegas em Jacobina acionarem a central em Irecê, relatando a gravidade da situação. De imediato, tanto um oficial da 24ª CIPM quanto um agente de trânsito do SMTT mantiveram contato com o Samu, pedindo para que enviassem uma equipe de socorristas o mais rápido possível.

 

Socorro é negado

 

Mesmo após se identificarem, explicarem toda a situação e a dificuldade que a equipe da PM no local tinha para entrar em contato por não haver sinal, a central em Irecê se recusou a enviar socorristas para atender as vítimas. Uma das atendentes do Samu ainda desrespeitou um oficial da Polícia Militar que tentou de todas as formas convencê-la a liberar uma ambulância, devido a gravidade da situação.

Passados quase 40 minutos desde os primeiros pedidos de socorro, e sem saber mais à quem recorrer, a alternativa que os policiais encontraram foi ir até a base do Samu em Jacobina e pedir ajuda. Um médico que estava de plantão na unidade foi quem teria ligado para a central em Irecê e, com muita dificuldade, conseguiu convencer a atendente. Só então, quase uma hora depois, uma equipe seguiu para socorrer as três vítimas do acidente no distrito de Caatinga do Moura, distante cerca de 40 quilômetros de Jacobina.

Indignação

 

"É inadmissível, revoltante, não se pensar na vida humana e preferir um protocolo, se é que foi isso. Pelo simples fato de o chamado não ter partido do local do acidente, o que seria impossível pois não pega celular naquela área, três pessoas gravemente feridas, três vidas que poderiam se perder pela recusa e demora no atendimento. Não há justificativa, nada pode justificar isso, já que tanto o policial quanto um agente de trânsito, dois servidores públicos, se identificaram, explicaram toda a situação e mesmo assim eles se recusaram a prestar o socorro. E como se não bastasse, ainda faltaram com respeito com o policial", desabafou o agente.

"A conclusão que chegamos é que, por se tratar de Jacobina e a base ser em Irecê, não há qualquer comprometimento, qualquer esforço por nosso povo. Nossas vidas para eles, pelo jeito, não importam. A pergunta que me faço é qual a missão do Samu, não é salvar vidas?. Aqui em Jacobina as equipes fazem um trabalho incrível salvando vidas, mas em Irecê eles hoje trabalharam para impedir isso", concluiu.

 

Redação: Jacobina Notícias


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

 

Web Interativa - O portal de notícias da Bahia
Web Interativa - O portal de notícias da Bahia