Web Interativa - O portal de notícias da Bahia

Após mortes de policiais, Rui Costa culpa política de armas de Bolsonaro

 

Foto: Reprodução

O governador da Bahia Rui Costa (PT) lamentou, nesta segunda-feira (13), a morte de dois policiais militares da Rondesp ocorridas neste fim de semana. Durante entrevista à Rádio Metrópole, o chefe do Executivo Estadual afirmou que é urgente e necessária a reforma no Código Penal brasileiro. Além disso, ele também culpou a política de armas adotada no governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que segundo o governador, facilita o acesso de bandidos a armamentos pesados.

 

“Vai mais uma vez a minha indignação, minha revolta com esse modelo jurídico criminal existente no Brasil. Eu não quero jogar culpa em cima do juiz, mas eu diria que a lei criminal brasileira precisa mudar rapidamente. Não é possível, é inaceitável que a mesma pessoa seja presa uma, duas, cinco, seis vezes, muitas delas respondendo a crime de homicídio, e que eventualmente, aqueles que respondem pela condenação de homicídio, com um sexto da pena possam ter algum tipo de liberdade. Eu considero isso inaceitável”, disse o governador.

 

Na ocasião, Rui chamou de “atitude irresponsável” as medidas adotadas pelo presidente Bolsonaro que ampliam o acesso a armas de fogo e munições no país. “É visível e crescente o poderio de armas dos bandidos. Sei que alguém pode dizer que ‘só foi liberado, governador, para pessoas de bem’. O fato é que independentemente de quem compra, essas armas mais cedo ou mais tarde acabam chegando nas mãos dos bandidos. E, hoje a gente, a polícia, tem que ir para rua para enfrentar bandido com fuzil, com equipamento sofisticado, e mesmo essas pessoas sendo presas, contratam escritórios fortes de advocacia, com base na lei, e essas pessoas são colocadas em liberdade. Fica aquela sensação de enxugar gelo”, disse o petista.

 

Rui também disse que é urgente o debate sobre o uso de drogas no Brasil, que de acordo com o governador, é um dos países que lidera o consumo ilícito. “Os homicídios estão vinculados diretamente ao comércio ilegal de drogas, ao tráfico de drogas, indepementemente se é o quarto ou quinto consumidor de drogas do mundo. O consumo de drogas é que financia o crime organizado, morte de adolescente, mortes de policiais”, apontou.

 

Número PMs mortos na Bahia em 2021 supera o total do ano passado

Em apenas nove meses deste ano, o número de policiais mortos na Bahia já é maior do que o total registrado no ano passado. Ao BNews, a Polícia Militar informou que, até o momento, 17 militares morreram, sendo 8 de serviço, 5 de folga e 4 da reserva. No ano de 2020, 13 policiais foram mortos, sendo 1 de serviço e 12 de folga.

 

Neste fim de semana, dois policiais da Rondesp foram mortos. Na madrugada de sábado (11), o soldado Antonio Elias Matos Silva foi morto a tiros enquanto fazia uma ronda no distrito de Pindorama, em Porto Seguro, no sul da Bahia. Durante a ronda, o policial localizou suspeitos em uma rua do local. A quantidade não foi detalhada pela assessoria da Polícia Militar. Houve uma troca de tiros, o militar foi atingido e morreu. Não há informações se mais alguém ficou ferido.

 

Na noite deste domingo (12), a equipe na qual estava o tenente da Rondesp Atlântico, Mateus Grec de Carvalho Marinho, foi surpreendida por cerca de 20 homens armados que dispararam contra os PMs. O tenente foi atingido no tórax, em parte da região que não é coberta pelo colete. Ele foi socorrido para o Hospital Geral do Estado (HGE), mas morreu.

 

O PM morto em Porto Seguro foi enterrado no domingo. O sepultamento do tenente da Rondesp será no Cemitério Bosque da Paz, em Salvador, nesta segunda, às 14h.

 

Fonte: BNews

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

 

Web Interativa - O portal de notícias da Bahia