Web Interativa - O portal de notícias da Bahia

O que se sabe até agora sobre a ação que pode cassar o mandato do prefeito de Ponto Novo

Montagem: Web Interativa
 

Da redação: Web Interativa


Mesmo após um ano do quente pleito eleitoral que tornou Thiago Gilleno (PSD) prefeito de Ponto Novo, derrotando o então prefeito Tiago Venâncio (PT) com uma diferença de 760 votos, a cidade ainda vive o clima de eleições.

Esse clima esquentou ainda mais no último domingo (17), pois foi divulgada a informação que uma ação que corre na Justiça Eleitoral pode afastar e até cassar o mandato dos atuais prefeito e vice-prefeito de Ponto Novo. A Ação de Impugnação de Mandato Eleitoral (AIME) foi protocolada no ano passado, em 2020, pelo Partido Liberal (PL) que alega abuso de poder econômico supostamente cometido pelos então candidatos a prefeito e vice, Thiago Gilleno e Adelson Carneiro, ambos do PSD, nas eleições do ano passado.

A Juíza Eleitoral da 149ª Zona Eleitoral de Itiúba, Ana Lúcia Ferreira Matos emitiu um despacho, no dia 14 de outubro, onde determina que a audiência de instrução seja realizada no dia 15 de dezembro de 2021, às 10:00h. A audiência será realizada de forma virtual e o processo está sob segredo de Justiça.

Com a repercussão, integrantes do grupo de oposição realizaram comemorações no último domingo (17).

Na manhã desta segunda-feira (18), o prefeito Thiago Gilleno e o vice Adelson Carneiro se pronunciaram através de veículos de comunicação sobre o assunto:

 

“Estamos firmes e fortes para enfrentar outra eleição”

 

O vice-prefeito Adelson, no grupo da WEB, em aplicativo de mensagens afirmou que está tranquilo e confia na Justiça: “Estou muito tranquilo em relação a isso. O prefeito já explicou, os advogados já têm conhecimento, a Justiça está trabalhando para poder em breve dar o resultado. Confio na Justiça, sei que a Justiça vai fazer o seu trabalho e a decisão que a Justiça der, eu vou ter que aceitar, não vou fazer igual a muitos que ainda não aceitaram o resultado das urnas”.

Adelson afirmou estar disposto a disputar uma nova eleição: “Se por acaso der contra, tem outra eleição e nós estamos firmes e fortes para enfrentar outra eleição, não temos medo de jeito nenhum de disputar outra eleição, que a Justiça decida”

 

“Isso é fundamentado para manter a esperança de um grupo político falido”

 

Já o prefeito Thiago Gilleno, em pronunciamento à Rádio Caraíba FM, falou sobre o processo: “Esse é mais um processo raso, evasivo e sem fundamentação jurídica nenhuma, na verdade, processo esse aberto para o ex-prefeito manter o seu grupo político esperançoso, porque ele precisa disso, porque ano que vem é ano eleitoral e ele para garantir o emprego dele em Salvador ele precisa dar votos aos deputados”.

Segundo o prefeito, o processo é fundamentado para manter esperança no grupo de oposição: “Tenho certeza que se ele perdeu por 760 votos, se tivesse uma nova eleição hoje ele ia perder de mais de mil, mas tudo isso é fundamentado para manter a esperança de um grupo político falido para as eleições para deputado no ano que vem”.

O ex-prefeito Tiago Venâncio (PT) não se pronunciou sobre o assunto.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

 

Web Interativa - O portal de notícias da Bahia