Eduardo Bolsonaro diz ‘sentir’ que reforma da Previdência não será votada em 2018

Reprodução: Facebook/ Arquivo Pessoal


Redação: Bahia.ba

O deputado federal reeleito Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), afirmou que “seu sentimento de dentro do Congresso” é de que não será possível votar a reforma da Previdência ainda em 2018.

“Ano que vem começaríamos o ano com a reforma”, disse o parlamentar em entrevista ao programa Poder em Foco, do SBT, exibido na madrugada desta segunda-feira (5).

De acordo com Eduardo, seria interessante votar uma reforma da Previdência “suave” em 2018 para “dar um gás” para o próximo governo, mas ele ponderou que, caso o projeto não passasse, seria um risco para o presidente eleito. “Se perdêssemos, seria tratado como a primeira derrota de Jair Bolsonaro, antes de ser empossado.”

Uma reforma “suave” seria, segundo ele, mudar as regras para novos entrantes, sem alterar todas as normas de uma vez só. Ele disse também que o governo tem de dar o exemplo e apertar o cinto sobre as despesas. “Por que de agora em diante não acaba com o auxílio-moradia? De repente, acaba para todo mundo.”

Em relação à aposentadoria dos militares, ele disse que é uma questão que será tratada entre os futuros ministros da Economia e da Defesa, Paulo Guedes e general Augusto Heleno, respectivamente. Ele disse que situações desiguais exigem soluções desiguais, defendendo a diferença entre as previdências militar e a civil.

Compartilhar no Google Plus

Sobre WEB INTERATIVA

DEIXE SEU RECADO