Cooperativa de saúde é investigada por suposta fraude licitatória em dois municípios baianos


O Ministério Público Federal (MPF) investiga a Cooperativa dos Profissionais de Saúde (COOPE) por “possível fraude licitatória, desvio de recursos e pagamento de vantagem indevida a agentes públicos no contexto” no centro-sul baiano.

 Os contratos foram firmados com as prefeituras de Pindaí e Urandi. As informações foram publicadas em duas portarias, assinadas pelo procurador da República Carlos Vítor de Oliveira Pires, nesta terça-feira (30).

De acordo com a publicação, as supostas irregularidades teriam ocorrido na gestão da ex-prefeita de Pindaí Rosane Madalena Ladeia Pereira Prado, no período de 2013 a 2016. Enquanto que em Urandi, as prováveis ilegalidades teriam ocorrido durante o mandato do ex-prefeito José Cardoso de Oliveira, entre 2009 e 2012.
Uma série de diligências foi determinada pelo procurador aos Municípios e também à cooperativa. O caso está na 5ª Câmara de Coordenação e Revisão (CCR).

BNews

Sobre Web Interativa

WEB INTERATIVA - PORTAL DE NOTÍCIAS - Redacao@interativapn.com

0 comentários:

Postar um comentário