WhatsApp não doa dinheiro para pessoas doentes por compartilhamento de mensagens



De tempos em tempos, surge no WhatsApp uma mensagem a respeito de alguma pessoa – em muitas vezes, crianças – que precisa de um tratamento caro para determinada doença ou problema. A solução para "ajudar", segundo o conteúdo, é simples: basta compartilhar com o máximo de amigos que puder, já que a empresa irá, supostamente, doar R$ 1 para cada compartilhamento. Será que é verdade?

Não, é apenas mais um boato a circular pela internet. A mensagem é a seguinte: "A cirurgia custa R$ 18.000,00. Deve ser feita o quanto antes. Ela tem pouco tempo de vida. Não pode esperar pelo SUS. O WhatsApp vai pagar R$ 1,00 cada vez que a MSG for repassada. Vamos salvar a vida desta criança!".

Um ponto importante a ser observado para se ter certeza de que não passa de uma mensagem falsa está relacionado a uma das politicas de privacidade do WhatsApp, a criptografia de ponta a ponta. A medida de segurança serve para que as mensagens, fotos, vídeos, mensagens de voz, atualizações de status, documentos e ligações não possam ser acessadas por ninguém além de quem envia e quem recebe o conteúdo, nem mesmo o próprio WhatsApp.

"A criptografia de ponta a ponta do WhatsApp garante que somente você e a pessoa com que você está se comunicando possam ler o que é enviado. Ninguém mais terá acesso a elas –nem mesmo o WhatsApp. As suas mensagens estão seguras com cadeados e somente você e a pessoa que as recebe possuem as chaves especiais necessárias para destrancá-los e ler as mensagens. E, para uma proteção ainda maior, cada mensagem que você envia tem um cadeado e uma chave. Tudo isso acontece automaticamente: não é preciso ativar configurações ou conversas secretas especiais para deixar suas mensagens seguras. Importante: a criptografia de ponta a ponta está sempre ativada. Não há nenhuma maneira de desativá-la", diz a mensagem publicada no site oficial do aplicativo.

Sendo assim, não há maneira de a empresa saber quantas vezes determinado texto foi enviado, o que impossibilita o WhatsApp de fazer uma contagem da quantidade de compartilhamentos para doar o valor condizente para o personagem da história.

Saber dessa politica da empresa já é o suficiente para confirmar que é mentira, mas há outros indícios de que o conteúdo é falso. Primeiro, a mensagem contém as principais características dos boatos da internet: é alarmista, vaga, tem erros de português, não cita fontes confiáveis e pede para que seja compartilhada muitas vezes. 

Além disso, basta pesquisar pela mensagem no Google e será possível encontrar exatamente o mesmo texto sendo compartilhado com diversas fotos, vídeos, doenças, pessoas e em anos e datas diferentes.

Gauchazh

Sobre Web Interativa

WEB INTERATIVA - PORTAL DE NOTÍCIAS - Redacao@interativapn.com

0 comentários:

Postar um comentário