Ex-advogado da família Bolsonaro pode ter ajudado no sumiço de miliciano morto na Bahia, diz MP

Foto: Marcelo Gonçalves/Folhapress


O ex-advogado da família Bolsonaro, Frederick Wassef, pode ter envolvimento no sumiço do ex-PM Adriano da Nóbrega, morto na cidade baiana de Esplanada, em fevereiro deste ano, durante uma ação policial.

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) suspeita que Wassef não tenha abrigado só Queiroz, mas que Adriano, que estava foragido da polícia, também teria sido escondido por ele. A diferença nos dois casos é que contra Adriano já havia um pedido de prisão em aberto, diferente do que ocorreu com o ex-assessor.

O MP-RJ chegou a afirmar que Adriano seria responsável por organizar um plano para a fuga de toda família de Queiroz, suposição é negada por Wassef. Ainda conforme o Ministério, o ex-PM morto na Bahia é apontado como chefe da milícia Escritório do Crime e teria transferido mais de R$ 400 mil para as contas bancárias de Fabrício Queiroz.

Conforme o UOL, pelo menos R$ 69,5 mil foram depositadas por contas de restaurantes administrados pelo miliciano e familiares.

Redação: Varela Notícias 

Sobre Web Interativa

WEB INTERATIVA - PORTAL DE NOTÍCIAS - Redacao@interativapn.com

0 comentários:

Postar um comentário

reverse_time-href="https://www.interativapn.com/" data-numposts="5" data-width="">