APLB condiciona retorno das aulas à vacinação de professores e ameaça declarar greve

O sindicato que representa os trabalhadores da Educação da Bahia, APLB, condicionou o retorno às aulas presenciais nas escolas à vacinação dos professores. O coordenador-geral da categoria, Rui Oliveira, considera “crime dizer que vai abrir escola” no momento vivido pelo estado em relação à pandemia da Covid-19.

“Você acha conveniente pensar em volta às aulas dentro desse contexto?”, questionou. Na visão dele, caso isso acontecesse seria o mesmo que “entregar a população da Bahia a um genocídio”.

De acordo com Rui Oliveira os professores poderão entrar em greve caso seja determinado o retorno das aulas presenciais sem que a categoria seja imunizada contra a doença. O coordenador-geral da APLB foi o entrevistado nesta quarta-feira (27) do Bahia Notícias no Ar, da rádio Salvador FM 92,3.

O sindicato informou que realizou uma pesquisa entre a categoria para entender as opiniões sobre o retorno. “Entrevistamos 13 mil educadores em 331 municípios e 96% disseram que só voltam com questão da vacinação”, explicou Rui.

“Ano letivo não se perde, recupera. Agora vidas não. É um absurdo voltar agora”, argumentou Rui. “Não sei se vocês sabem, mas toda semana morre professor de Covid-19”, acrescentou.

BN

Sobre Web Interativa

WEB INTERATIVA - PORTAL DE NOTÍCIAS - Redacao@interativapn.com

0 comentários:

Postar um comentário

reverse_time-href="https://www.interativapn.com/" data-numposts="5" data-width="">