Web Interativa - O portal de notícias da Bahia

Marcelo Brandão é o culpado pelo caos em Ipirá


A promissora cidade de Ipirá, na Bacia do Jacuípe, vive um dos momentos mais difíceis de sua história política/administrativa com médicos ameaçando paralisar as atividades na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mais de 600 profissionais da Educação sem receber salários, débito milionário com o INSS, dívidas vultosas sem contar com os problemas estruturais, prédios públicos abandonados e as ruas com mais buracos que a lua são algumas das heranças deixadas pelo ex-prefeito Marcelo Brandão, que não deixará saudades na gestão pública.

A responsabilidade de resolver toda essa problemática é do atual prefeito Dudy (PSD), mas é importante deixar claro que a culpa de todo esse caos instaurado É DO EX-PREFEITO MARCELO BRANDÃO.

Sim! E isto é indiscutível! Os médicos, que anunciaram nesta semana a paralização das atividades estão sem receber seus salários de dezembro porque no referido mês o ex-prefeito não efetuou o pagamento a Cooperativa de Saúde Mais Vida. A Prefeitura deve R$570.899,36 referente ao mês de dezembro à empresa de saúde. 

O então prefeito optou por pagar empresas prestadoras de serviço e fornecedores ligados a ele ao invés de arcar com os salários dos mais de 600 profissionais da educação que até o momento não sabem o que fazer para pagar as contas, que não param de chegar.  

Só de INSS, o ex-prefeito foi capaz de ter a proeza de acumular mais de R$20 milhões em débitos nos anos de 2019/2020.

E não para por aí. São inúmeras as dívidas deixadas pelo ex-prefeito Marcelo Brandão: AS - Engenharia (Limpeza Pública) R$430.205,00; Consórcio Público (Policlínica) R$155.466,69; Consignação de bancos (Banco do Brasil/Caixa Econômica) R$106.447,91; Sicoob Empréstimos R$155.197,63; Cooperativa de Saúde R$570.899,36; Servidores da Educação R$1.210.575,08. E acredite! Nem água e luz o ex-prefeito pagou: Embasa R$57.357,51; Coelba R$88.000.

 

Tudo era maquiagem

Um fato que poderia ser detectado por qualquer pessoa que percorresse o munícipio: as “obras” e “ações” do então prefeito não passavam de maquiagem. Obras com preços exorbitantes e algumas delas muito mal feitas por sinal. Foi assim na reforma do Posto de Saúde do Alto Alegre, na construção da Ponte do São Roque, pavimentação da Avenida Rio Grande do Sul sem contar com as obras que até hoje não se sabe o valor pago como a Praça São José.

 

A lapada foi grande

“Muito fizemos pelo município” esbravejava Marcelo nos microfones da rádio da família, que servia de palanque eleitoral. O discurso e todas as forças da rádio concentradas em reeleger o então prefeito não convenceram e a lapada foi grande, 6.094 votos de frente: uma ferida que ainda não cicatrizou em muita gente.

 

Não houve transição

O que não é nenhuma surpresa. Não houve transição! Na verdade, o que aconteceu foi apenas algo simbólico, para fotos, pois as informações importantes para o bom andamento da nova gestão, não foram passadas pelos representantes da gestão anterior, até porque, o mínimo de informações que fosse passado, melhor... Tudo com a má intenção e o sentimento de “quanto pior, melhor”, afinal, já tinham perdido a eleição mesmo...

 

O sapequinha e a sequencia de canetadas

Após derrota vergonhosa nas urnas, o então prefeito iniciou uma sequencia de canetadas, convocou os aprovados no REDA, prorrogou contratos, pintou e bordou. Tudo para engessar a nova administração e deixar o novo prefeito de mãos atadas.  

 

Os desafios do novo prefeito

O prefeito Dudy terá o desafio de desafogar o município do mar de lama de débitos, e de todo esse caos administrativo e financeiro, afinal, é responsabilidade dele resolver toda essa problemática. É claro que em tão pouco tempo, é impossível fazer milagres e a casa precisa ser arrumada, mas Dudy chegou bem intencionado, tem uma equipe experiente e poderá fazer muito pela cidade de Ipirá.


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

 

Web Interativa - O portal de notícias da Bahia