Web Interativa - O portal de notícias da Bahia

Júri pede prisão perpétua para jovem que matou 17 pessoas em escola nos EUA

Foto: Reprodução

 Os jurados de uma corte dos Estados Unidos determinaram nesta quinta-feira (13/10) que o Nikolas Cruz, autor do massacre em uma escola na Flórida que deixou 17 mortos, deve ser condenado à prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional.


Os jurados do julgamento do assassino, que acontece esta semana, descartaram a pena de morte.


No ano passado, o assassino, de 24 anos, já havia se declarado culpado pelo caso, em que disparou contra estudantes da Marjory Stoneman Douglas High School.


"Ele usou um rifle semiautomático para matar 14 alunos e três funcionários em um dos tiroteios em escolas mais mortais da história americana."


Durante o julgamento de sentença que durou três meses, a promotoria argumentou que o crime foi premeditado, hediondo e cruel, que estão entre os critérios que a lei da Flórida estabelece para decidir sobre uma sentença de morte.


A equipe de defesa reconheceu a gravidade de seus crimes, mas pediu aos jurados que considerassem fatores atenuantes, incluindo distúrbios de saúde mental ao longo da vida resultantes do abuso de substâncias de sua mãe biológica durante a gravidez.


"Sob a lei da Flórida, uma sentença de morte só poderia ter sido proferida se os jurados tivessem recomendado por unanimidade que ele fosse executado. A única outra opção era a prisão perpétua."


Cruz, que na época do tiroteio tinha 19 anos e havia sido expulso do ensino médio, pediu desculpas por seus crimes e pediu para ser condenado à prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional para dedicar sua vida a ajudar os outros.


O processo de condenação incluiu depoimentos de sobreviventes do tiroteio, bem como vídeos de celulares em que estudantes aterrorizados gritavam por ajuda ou falavam em sussurros enquanto se escondiam.


O tiroteio em Parkland levou a novos apelos por um controle de armas mais rígido nos Estados Unidos.


A violência armada nos EUA ganhou atenção renovada após tiroteios em massa este ano em uma escola primária em Uvalde, Texas, que deixou 19 crianças e dois professores mortos, e outro em um supermercado em Buffalo, Nova York, que matou 10 pessoas.


Em junho, o presidente Joe Biden sancionou a primeira grande legislação federal de reforma de armas em três décadas, que ele chamou de uma rara conquista bipartidária.


Por Reuters

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Web Interativa - O portal de notícias da Bahia
Web Interativa - O portal de notícias da Bahia
Web Interativa - O portal de notícias da Bahia
Web Interativa - O portal de notícias da Bahia